Ana Raquel Freire Barreiros
  • Feminino
  • Lisboa
  • Portugal
Partilhar no Facebook Partilhar no Facebook

Amigos de Ana Raquel Freire Barreiros

  • Filipe Manuel do Paço Tavares
  • Anibal Miguel Vieira
  • Cláudia Sofia Freire Barreiros
  • 50 Ideias
  • Ana Rita Machado
  • Mercearia Marmelada à Fatia
  • Rita Solano
  • Rita Oliveira
  • António Manuel Barreiros
  • Pedro Estalagem
  • Isabel Duvalle
  • Nuno Miguel de Oliveira Costa
  • Milene Cabral
  • Filipe Amorim
  • Erica Duarte
 

Página de Ana Raquel Freire Barreiros

"Frio não presta”


Se gosta do famoso pão de alho, é bem provável que também aprecie esta receita. É que pão, alho e azeite são os principais ingredientes.
E se pensa que a Gastronomia Tradicional Portuguesa se resume a pratos pesados, com muito feijão, está enganado. O torricado é um prato leve, com ingredientes saudáveis. Além disso, é também bastante atractivo visualmente. Deve ser comido bem quente.



A gastronomia sofre variadas influências. Algumas são de origem religiosa. Noutras situações tem a ver com o clima e com a situação geográfica. Como exemplo temos o Algarve, onde a maioria dos pratos é confeccionado com peixe. No Alentejo e Norte predomina a carne.
Hoje, é fácil ter acesso a qualquer tipo de alimento. Mas antigamente, as pessoas tinham de se resumir ao que o ambiente proporcionava.
No caso do torricado, a influência foi um factor social. A pobreza.
O prato é típico do Ribatejo e de uma parte da Estremadura. Nessa zona, as pessoas sempre se dedicaram ao trabalho do campo. Aí, não é fácil cozinhar e por isso os camponeses tiveram de se adaptar.
José Pedro Estalagem tem 73 anos. Foi aprendendo a receita com o avô, o pai, e pessoas que trabalhavam consigo. Continua a confeccionar o torricado em sua casa, à maneira tradicional. Explica como surgiu esta receita, “Como se fabricava o pão em casa para uma semana, ele endurecia e inventou-se o torricado. Fazia-se uma fogueira com lenha de oliveira e torrava-se o pão. Era feito para os trabalhadores do campo, era económico”.
O torricado era então acompanhado com o bacalhau. Mas também se comia com toucinho, entrecosto, sardinhas ou sável, esclarece José Pedro.
A receita parece simples, mas é preciso alguma prática para a fazer. O pão, de tipo caseiro, deve ser de um dia para o outro, para não se desfazer.
É cortado ao meio, formando duas fatias grandes. Dão-se uns cortes no miolo, em forma de losangos e põe-se a torrar nas brasas.
Depois de dourar esfregam-se os dentes de alho, que vão derretendo. Tempera-se com sal e azeite.
O pão é colocado em cima de uma forquilha de madeira e encostado novamente às brasas. José Pedro diz que fica pronto quando se ouvir o azeite a chiar.
Antigamente, aproveitava-se o azeite que escorria do pão para temperar o bacalhau. Também por ser mais barato era acompanhado a água-pé, em vez de vinho. Seja qual for o acompanhamento, José Pedro só refere uma regra. É que, “Frio não presta”.
A tradição tem vindo a perder-se. De facto, alguns restaurantes já fazem o torricado, mas não da forma tradicional. A maioria torra o pão no forno, em vez de o fazer na brasa. Para José Estalagem, a receita ganha outro nome, “sandes de pão torrado…aquilo não é torricado”.
Para impedir que esta tradição se perca entre gerações, José Pedro já ensinou a receita aos três netos. Orgulha-se que eles gostem de aprender. Mais, faz questão de lhes explicar todos os pormenores, para que tudo saia na perfeição.
A receita caiu em desuso. Mas José Pedro acredita que podia atrair turistas porque, “há muita gente que desconhece”. Para isso só é preciso que o confeccionem é maneira tradicional. Só assim se pode divulgar a Gastronomia portuguesa.

Fotos de Ana Raquel Freire Barreiros

A carregar...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Artigos de Ana Raquel Freire Barreiros

Xutos ao rubro em Santarém

Criado em 14 Junho 2011 às 14:00 ‚ 3 Comentários

A Feira Nacional da Agricultura 2011, em Santarém, proporcionou aos seus visitantes (entre outras coisas) excelentes espectáculos de música. Este ano brilharam no palco nomes importantes como os de Rui Veloso, Camané, Deolinda e Pedro Abrunhosa.

No Sábado, dia 11, foi a vez dos…

Continuar

PASSEIOS (cá dentro): Há Feira em Santarém!

Criado em 14 Junho 2011 às 13:00 ‚ 5 Comentários

Para os que se interessam pela agricultura e pecuária. Para os amantes da música. Para aqueles que aproveitam para levar a família a passear e provar uns petiscos… Ou para os curiosos como eu, que gostam de ir a todo o lado! A Feira de Santarém promete…

Continuar

PASSEIOS (cá dentro): Quinta da Regaleira, um lugar misterioso

Criado em 8 Junho 2011 às 13:00 ‚ 4 Comentários

Misto de correntes artísticas como o gótico, o manuelino e a renascença, a Quinta da Regaleira, em Sintra, não é apenas um espectáculo da arquitectura. Cada escultura, cada…

Continuar

CULTURA: A Feira de Maio

Criado em 30 Maio 2011 às 14:00 ‚ 6 Comentários

A festa "mais castiça do Ribatejo". Assim é conhecida a Feira de Maio. Realiza-se todos os anos na Azambuja, no último fim-de-semana de Maio. É uma tradição centenária, que a cada ano que passa vai conquistando mais fãs. Sejam os amantes dos touros, da sardinha, ou apenas do convívio, este é um evento para…

Continuar

Caixa de Recados

Você tem de ser um membro de MyGuide para adicionar comentários!

Entrar em MyGuide

  • Sem comentários por enquanto!
 
 
 

COMUNIDADE MYGUIDE

O Myguide.pt é uma comunidade de Viagens, Lazer e Cultura.

Regista-te e publica artigos, eventos, fotos, videos e muito mais.

Sabe tudo sobre o Myguide aqui

EM DESTAQUE

Eventos em Destaque

© 2016   Criado por Administrador MyGuide.   Ativado por

Crachás  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...