Madagáscar: o lado selvagem e inexplorado da ilha

Caminhe sob as copas das árvores exuberantes para observar de perto as criaturas mais famosas da ilha, percorra cidades pitorescas cheias de mercados e arquitectura de influência europeia e desfrute de umas relaxantes férias nas magníficas praias do Oceano Indico. A ilha de Madagáscar é simplesmente um pedaço de paraíso, que lhe proporcionará uma experiência única. http://www.travel-tailors.com/detalhado.php?i=345

DIA 1  Antananarivo

Bem-vindo a Madagáscar.

A sua aventura começa com uma reunião de boas-vindas às 06h00.

Pode chegar a qualquer momento, pois não existem actividades programadas.

Por favor não falte à reunião, se não conseguir um voo que lhe permita chegar a tempo à mesma, poderá sempre partir um dia mais cedo(acomodação adicional sujeita a disponibilidade).

Nesta reunião o guia irá recolher determinadas informações sobre os seguros assim como outras informações importantes, por favor verifique se tem consigo toda a documentação necessária.

Antananarivo é a encantadora capital de Madagáscar.

Se chegar mais cedo, tire algum tempo para se familiarizar com a cidade, o montanhoso Antananarivo é um local divertido para explorar. Siga para Analakey e aproveite para visitar os mercados de rua ou procurar restaurantes e discotecas.

DIA 2  Ambositra

De manhã bem cedo partimos para Ambositra pela estrada nacional número 7 (cerca de 260 km, 5h). No caminho faremos uma breve paragem em Ambatolampy e em Antsirabe.

De tarde chegamos a Ambositra.

Localizada perto da floresta Zafimaniry, Ambositra é famosa pelo artesanato em madeira, mas também pela produção de seda, que é muito importante nesta cultura.
A seda que antigamente era usada exclusivamente por elementos da realeza pode hoje ser utilizada por todos, embora, na maioria das vezes, o seu uso é reservado aos mortos. Quando um Malagasy é enterrado, o seu corpo é envolto num grande lençol de seda chamado "lambamena". Uns anos mais tarde, a família volta ao túmulo e troca esse lençol de seda por um novo - um costume conhecido como "famadihana".

DIA 3 Parque Nacional de Ranomafana

Partimos de manhã em direcção às aldeias vizinhas de Manandriana, para explorar o processo de produção da seda. Cada aldeia é especializada numa etapa deste processo de produção, totalmente artesanal.

Desfrute de um almoço tradicional na aldeia antes de viajarmos para o Parque Nacional de Ranomafana (140 km, aproximadamente 3h).

Ranomafana significa "água quente", esta área de floresta tropical montanhosa é um refúgio para pequenos mamíferos, aves, répteis e insectos, bem como madeiras preciosas, palmeiras, bambus, orquídeas e plantas carnívoras. O Parque Nacional de Ranomafana é o lar de 13 espécies de lémures, incluindo o famoso dourado lémure bambu, encontrado pela primeira vez em Ranomafana em 1985, sendo esta uma das razões pelas quais o governo decidiu proteger esta floresta em extinção.

DIA 4  Parque Nacional de Ranomafana

Este dia é completamente dedicado à exploração do Parque Nacional.

A visita guiada permitirá que explore a fauna e a flora do Parque Nacional de Ranomafana, onde poderá encontrara lémures, civets, mangustos, falcões, lagartixas, sapos e borboletas. Poderá encontrar ainda, a aranha net-casting ou o menor camaleão do mundo.

DIA 5  Parque Nacional de Isalo

Seguimos para o Parque Nacional de Isalo (330 km, aproximadamente 6h).

O Parque Nacional de Isalo é conhecido pelas suas paisagens contrastantes de canyons profundos, loucas formações de arenito e campos abertos. O parque é o lar de mais de 80 espécies de aves, 30 espécies de répteis e 14 espécies de mamíferos, incluindo três espécies de lémures.

DIA 6  Parque Nacional de Isalo

Temos o dia inteiro para explorar o parque e descobrir os seus habitantes com um guia local.

Ficaremos num hotel simples em Ranohira com instalações compartilhadas.

DIA 7  Fianarantsoa

Começamos o dia com uma visita a uma cidade mineira próxima de Ilakaka, onde vamos fazer uma visita guiada às minas de safira.

As minas foram descobertas 1999 e tornaram Madagáscar, o maior exportador mundial de safira. Na nossa visita à cidade vamos aprender algumas das técnicas de mineração tradicionais (usando "Angady" ou pá), que representam toda uma vida para os habitantes locais.

No caminho vamos parar na reserva comunitária ANJà, um lugar muito bom para observação de lémures e para aprender mais sobre a cultura local. Os habitantes locais serão os nossos guias nesta excursão. 
Vamos continuar o passeio para a pequena cidade de Ambalavao, onde vamos visitar a fábrica de papel de Antemoro.

A partir daqui, partimos para a cidade de Fianarantsoa, conhecida como a porta sul (aproximadamente 5h, 270 km).

A colorida cidade de Fianarantsoa é conhecida pelos seus mercados e pelo artesanato. Com a sua longa estrada pavimentada, labirintos de pequenos caminhos e casas antigas com varandas de flores e brilhantes cravejados telhados, Fianarantsoa é uma cidade que contém um vasto património que merece ser visitado.
Ficamos em Fianarantsoa num hotel simples, com instalações compartilhadas.

DIA 8  Fianarantsoa

Tire o dia para visitar uma típica aldeia de Magasy ou explore os campos à volta de Fianarantsoa, as plantações de arroz cultivadas pelo povo Betsileo e vinhas que produzem o famoso vinho da cidade. 

Na parte da tarde, visite a histórica cidade de Fianarantsoa, uma área muito agradável que só poderá explorar a pé.

DIA 9  Antsirabe

Seguimos para Antsirabe onde à chegada teremos tempo livre para explorar a cidade (255 km, aproximadamente 4h).

Com a tranquilidade de uma pequena cidade europeia, Antsirabe mantém as características de Madagáscar, o que é visível nos seus mercados e bairros tradicionais. Fundada no século XIX por missionários noruegueses foi apelidada de "Malagasy Vichy" devido às suas fontes de água quente e banhos termais, sendo um retiro de alta altitude.

Coloridas riquixás, conhecidas como "pousse-pousse", são uma forma popular de transporte em Antsirabe. Vamos fazer uso deste meio de transporte na visita à cidade.

DIA 10  Parque Nacional de Andasibe

Seguimos para Andasibe (300 km, aproximadamente 5h.

No caminho, vamos parar no exótico Pereyras parque para uma visita. Esta reserva privada é um óptimo local para observar camaleões, rãs, cobras e alguns lémures também. Para aqueles que quiserem explorar a floresta à noite, existe a possibilidade de realizarmos uma caminhada nocturna pela floresta em Mitsinjo, uma reserva privada que abriga borboletas endémicas, lémures e outras espécies nocturnas.

O Parque Nacional de Andasibe é o parque mais visitado em Madagáscar, sendo famoso pelas suas 11 espécies de lémures. Esta floresta tropical é também o lar de inúmeras de aves nativas, como a coruja de orelhas longas, o rufous-headed e o ground-roller, sendo também a casa para o menor camaleão vivo e muitos tipos de répteis, insectos e rãs. Indri indri, também chamado Babakoto pelos moradores, são a atracção principal desta floresta. Tendo cerca de 64-72 cm, é o maior dos lémures.

DIA 11  Parque Nacional de Andasibe

Terá o dia inteiro para explorar o parque mais visitado em Madagáscar.

Passe a última noite na pousada onde poderá disfrutar de uma bebida especial feita a partir de ervas locais, tradicionalmente utilizadas para fins medicinais, enquanto se entretém com um grupo de músicos e bailarinos locais.

DIA 12  Foulpointe

Partiremos cedo para chegar a Tamatave, o maior porto comercial de Madagáscar (240 km, aproximadamente 3h).

Na chegada, terá tempo livre para explorar a cidade.

Continuaremos a nossa viagem até à cidade costeira de Foulpointe, uma pequena vila de pescadores a norte do porto Tamatave.
Ficaremos num hotel simples localizado em frente à praia, com instalações compartilhadas.

DIA 13  Sainte-Marie

Viajaremos ao longo da costa até ao pequeno porto fluvial de Soanierana-Ivongo onde embarcaremos para a ilha de Sainte-Marie (105 km, aproximadamente 3h).

A romântica ilha de Sainte-Marie foi em tempos um abrigo para piratas. Hoje as suas verdes colinas escondem baías ricas em recifes de corais, barcos naufragados para explorar, resplandecentes florestas com cascatas, orquídeas raras e uma vasta de vida selvagem.

Chegaremos perto das 11h30, sendo o resto do dia é livre para explorar a seu gosto.

DIA 14  Sainte-Marie

Dia livre para explorar esta luxuriante ilha verde ou para fazer uma visita a uma ilha próxima: Aux Nattes.

Vá de canoa para o paraíso que é a ilha de Aux Nattes, onde cocos, palmeiras, praias de areia branca e lagoas paradisíacas esperam por si.

Há muito para ver e fazer, como mergulho, caminhadas e ciclismo. A ilha também é um hotspot de observação de baleias, entre os meses de Julho e Setembro.

DIA 15  Sainte-Marie

Dia livre.

DIA 16  Partida

Pode partir a qualquer momento no dia 16 pois não existem actividades programadas. O horário do checkout é às 10h00.

Para voltar ao continente a partir de Sainte-Marie pode apanhar um avião para Antananarivo ou pode ir de transportes públicos (barco, autocarro e táxi).

Exibições: 1057

Adicione um comentário

Você tem de ser membro de MyGuide para adicionar comentários!

Entrar em MyGuide

COMUNIDADE MYGUIDE

O Myguide.pt é uma comunidade de Viagens, Lazer e Cultura.

Regista-te e publica artigos, eventos, fotos, videos e muito mais.

Sabe tudo sobre o Myguide aqui

Editores em destaque

EM DESTAQUE

Notícias

Vida e obra de Frida Kahlo em livro com ilustrações de Maria Hesse

Criado por MyGuide 10 Out 2018 at 13:00. Actualizado pela última vez por MyGuide 10. Out, 2018.

Música e Cocktails ao final da tarde no Lisbon Marriott Hotel

Criado por Agenda MyGuide 9 Abr 2018 at 15:02. Actualizado pela última vez por Agenda MyGuide 9. Abr, 2018.

O Festival de Storytelling regressa a Lisboa e ao Porto

Criado por Joana Sá Pinto 2 Abr 2018 at 13:15. Actualizado pela última vez por Joana Sá Pinto 2. Abr, 2018.

© 2019   Criado por Administrador Transglobal.   Ativado por

Crachás  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço