PASSEIOS (cá dentro): Mosteiro de Santa Maria da Vitória, conquistador de batalhas

Mal saí do carro, percorrendo os poucos metros que me distanciavam do Mosteiro, e já os cadernos de História se passeavam pela minha memória fazendo-me fantasiar com reis e rainhas. Parada em frente da sua fachada de cor dourada, quase pareço escutar D. João I, Mestre de Aviz, a ordenar que seja edificado um monumento em nome de uma promessa feita à Virgem Maria. Este exemplar de arquitectura gótica e manuelina é tão esplendoroso e expressivo que por pouco me sinto ao lado de D. Nuno Álvares Pereira na Batalha de Aljubarrota.

Pode parecer exagero, e obviamente que hiperbolizo a minha capacidade de me imaginar a viver na idade média, mas não amplifico nem um pouco a minha admiração por estas mostras de arte capazes de me tiranizar o olhar enquanto as fotografo impulsivamente em cada pormenor.

 



O Mosteiro da Batalha ou se quisermos, com mais precisão, o Mosteiro de Santa Maria da Vitória, merece ser observado por olhos atentos a pormenores, capazes de admirar as suas capelas, os seus claustros, observando a impetuosidade das suas abóbadas, a magnificência do contraste entre a frieza da pedra e a riqueza dos detalhes que a adornam, os seus rendilhados, os vitrais que o embelezam com côr.  

 

 

 

 

Mais do que por ser um monumento que constitui um marco na história nacional, a sua grandiosidade e a sua beleza justificam a entrada directa para a lista obrigatória de locais a serem visitados e explorados e tornam-no um excelente pano de fundo para momentos que queremos marcantes na nossa história pessoal.

 

 

Sem oferecer resistência à minha curiosidade fotografei-o sem qualquer pudor, resistindo a qualquer pedido de clemência da parte dos seus segredos e perscrutei-o nos mais recônditos espaços.  Para quem gosta de fotografar, a cereja no topo do bolo surge com o facto de não existirem multidões de pessoas e ser, por isso, possível ter a sensação de ter o Mosteiro só para nós, sem vozes alheias, sem outros olhares que interfiram na química do momento.

 

 

 

Exibições: 1110

Adicione um comentário

Você tem de ser membro de MyGuide para adicionar comentários!

Entrar em MyGuide

Comentário de Rita S em 19 Janeiro 2012 às 15:15

Como não sou defensora de purismos também acho que a pluralidade de estilos o torna bastante interessante. Os quase dois séculos de construção trouxeram-lhe essa originalidade. Em breve conto ir ao de Alcobaça, revê-lo após alguns (muitos) anos de ausência. Temos em Portugal monumentos fantásticos que merecem pequenas escapadelas para os visitar.

Comentário de Marina Soares em 19 Janeiro 2012 às 13:08

Este foi o primeiro mosteiro que visitei em criança e impressionou-me tanto que se tornou o meu preferido! Visitei-o com um amigo francês que já tinha estado em Chartres e que por isso não ficou tão eufórico como eu. Compreensível? Não sei... eu adoro-o! Não quero saber quando dizem que o de Alcobaça tem as linhas mais puras, um gótico mais clássico e elegante, e que este é uma mistura mais trapalhona de influências, correntes e épocas.

Acho maravilhoso o excesso de ornamentação e o rendilhado da pedra por todo o lado. Viva o Mestre Afonso Domingues... e já agora, a padeira de Aljubarrota, que sem ela, não havia cá Vitória para ninguém... ehehe.

E viva a Rita, que o trouxe até aqui ao Myguide!

Comentário de Filipa Studer em 19 Janeiro 2012 às 10:24

Há anos que não o visito mas a minha próxima visita a mosteiros vai ter que ser ao de Alcobaça :)

Já estou há muito tempo para o visitar...

Comentário de Rita S em 18 Janeiro 2012 às 18:09

Olá Ana, imagino que a altura do ano possa ter influência no número de pessoas que o visitam mas quando o fiz estava mesmo pouca gente. Obviamente que, tal como dizes, também prefiro que muito gente o visite, pois a sua grandiosidade assim o merece mas confesso que também me soube muito bem estar alguns momentos sós, sentindo aquelas paredes só minhas :)

Comentário de Ana Maria Cano Meira em 18 Janeiro 2012 às 11:12

Estive lá há muito pouco tempo e por acaso estava com muita gente. Mas o ter pessoas foi dar vida a um espaço com história e muitas histórias.

Realmente adorei recordar a minha história.

COMUNIDADE MYGUIDE

O Myguide.pt é uma comunidade de Viagens, Lazer e Cultura.

Regista-te e publica artigos, eventos, fotos, videos e muito mais.

Sabe tudo sobre o Myguide aqui

Editores em destaque

EM DESTAQUE

Eventos em Destaque

Fevereiro 2024
DSTQQSS
123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829
       

Notícias

Aulas regulares (e para todos) no Museu do Oriente

Criado por MyGuide 5 Jan 2021 at 10:16. Actualizado pela última vez por MyGuide 5. Jan, 2021.

Pintar como os grandes

Criado por Agenda MyGuide 24 Nov 2020 at 18:30. Actualizado pela última vez por Agenda MyGuide 24. Nov, 2020.

É um restaurante?

Criado por Agenda MyGuide 9 Nov 2020 at 11:32. Actualizado pela última vez por Agenda MyGuide 9. Nov, 2020.

© 2024   Criado por MyGuide S.A. Livro de reclamações   Ativado por

Crachás  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço