No último fim-de-semana, as manchetes jornalísticas foram largamente ocupadas pela já tradicional rentrée política, sem que nada de relevante tivesse sido dito. A ausência de um plano para o futuro é evidente mas esse vazio no horizonte não obriga a uma vida preenchida pela depressão.

Não é por acaso que os festivais se tornaram manifestações públicas de felicidade, comparáveis às grandes competições desportivas, só que sem o elemento competitivo. Diversos colunistas políticos teriam a tentação de classificar festivais e concertos de ópio do povo, como se a cultura não fosse também uma forma de cidadania. A demagogia de quem não entende que o divórcio entre políticos e cidadãos vem de cima, isto é dos quem deve dar o exemplo, os primeiros, está aí para ser combatida e o primeiro acto é já no dia 31 no Coliseu dos Recreios.

É não só o primeiro concerto da rentrée como igualmente o regresso do velhinho rock que, um pouco como a política, está moribundo, sem ideias e sem capacidade de criar ruptura. Incrível, sobretudo num momento histórico do mundo como é o actual mas uma prova da institucionalização sofrida pelo rock. Parte dessa apatia vem da presença esmagadora de uma classe média alta burguesa nas bandas de rock (Portugal é um bom exemplo). A outra na perda de influência de música de guitarras junto dos "putos", que, por razões práticas e económicas, vêem no software um aliado. 

Nos últimos anos, poucos discos de rock valeram realmente a pena e quando o paradigma do rock são os Black Keys algo tem que estar muito mal. Isso não significa que toda a edição mereça desprezo. Blunderbuss, de Jack White, é também ele um regresso. Neste caso, de Jack White ao viço controlado, depois de um derradeiro álbum balofo com os White Stripes, um disco falhado com os Raconteurs, o segundo, e a pobreza de ideias que sempre afectou os Dead Weather. Naquele que é o seu primeiro título em nome próprio, reencontra um espaço sem virtuosismos exagerados, entre a identidade de guitar hero escritor de canções e o som de Nashville, onde Blunderbuss foi gravado.

Sendo os discos objectos artísticos em risco de extinção e pouco consumidos face à profusão de conteúdos, Blunderbuss é sobretudo um pretexto para os palcos e, ao vivo, costumam acompanhá-lo duas bandas numerosas. Os saudosistas podem ficar descansados: o alinhamento é um pot-pourri da obra de Jack White. E como vai ser bom voltar sentir o Coliseu a estremecer com guitarras.

Vídeo de Love Interruption

Exibições: 185

Adicione um comentário

Você tem de ser membro de MyGuide para adicionar comentários!

Entrar em MyGuide

Comentário de Anabela em 24 Agosto 2012 às 4:57
Finalmente um concerto fora dos recintos das feiras populares

COMUNIDADE MYGUIDE

O Myguide.pt é uma comunidade de Viagens, Lazer e Cultura.

Regista-te e publica artigos, eventos, fotos, videos e muito mais.

Sabe tudo sobre o Myguide aqui

Editores em destaque

EM DESTAQUE

Eventos em Destaque

Fevereiro 2024
DSTQQSS
123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829
       

Notícias

Aulas regulares (e para todos) no Museu do Oriente

Criado por MyGuide 5 Jan 2021 at 10:16. Actualizado pela última vez por MyGuide 5. Jan, 2021.

Pintar como os grandes

Criado por Agenda MyGuide 24 Nov 2020 at 18:30. Actualizado pela última vez por Agenda MyGuide 24. Nov, 2020.

É um restaurante?

Criado por Agenda MyGuide 9 Nov 2020 at 11:32. Actualizado pela última vez por Agenda MyGuide 9. Nov, 2020.

© 2024   Criado por MyGuide S.A. Livro de reclamações   Ativado por

Crachás  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço